IQNA

23:55 - February 18, 2022
Id de notícias: 77
É um dever do marido e da esposa manter a cordialidade no relacionamento em todos os níveis. Quer seja perante o filho ou nos demais níveis. Deus tornou compulsória a cordialidade entre os casais e a cordialidade permanente será resultante da observação da exortação de Deus e da proximidade D’ele.

Relações Cordiais
Entre os deveres que cabem aos pais está o estabelecimento da cordialidade, da estabilidade e da tranqüilidade na família. Deus, o Altíssimo, disse: “E um de Seus sinais está o de ter-vos criado companheiras da vossa espécie, para que com elas convivais; e colocou amor e piedade entre vós...” .[1]
A relação entre marido e mulher deve ser cordial e bondosa. Uma relação assim pacifica a alma, acalma os nervos, tranqüiliza o espírito e serve como um conforto ao corpo. A cordialidade é o laço que mantém a unidade familiar e fortalece sua formação permitindo sua continuidade. A cordialidade é uma benção que conduz ao respeito mútuo e ao auxílio real na resolução das dificuldades e problemas que ocorrem na família.
A cordialidade é necessária para equilibrar os sentimentos do filho. Dr. Sapok, diz: “A tranqüilidade elementar e pessoal da criança precisa sempre de um relacionamento estável com os pais e entre eles, e estes, precisam se unir no enfrentamento da responsabilidade de suas vidas”.
O Imam Ali ibn al Hussein1 (A.S.) recomendou-a e disse: “O direito de quem está submetido a ti pelo matrimônio é que saibas que Deus a concebeu como sossego, tranqüilidade, prazer e proteção. Assim ambos devem agradecer a Deus por seu respectivo companheiro e saber que é uma bênção de Sua parte.
 Deve-se tratar da melhor forma à essa companheira que Deus deu como graça, honrá-la e tratá-la com ternura. Se por um lado, o teu direito sobre ela possui um caráter mais determinante, por outro, a obediência dela é incondicional, deves saber que ela tem o direito à indulgência e ao carinho, e não há dúvida que é um direito prioritário...”
Na realidade, os Ahlul Bait (A.S.) enfatizaram o relacionamento permanente, o amor e a intimidade na família, e seus conselhos se dirigem para todos os homens e mulheres.
O Mensageiro de Deus2 (S.A.A.S.)3 disse: “O melhor dentre vós é aquele que melhor trata sua esposa e eu sou melhor do que vós no trato com minha esposa”. (Manla Yahdurul Faqih)
O Imam Jafar Assadeq4 (A.S.) disse: “Que Deus abençoe o muçulmano que busca o melhor tratamento entre ele e sua esposa”.
(Manla Yahdurul Faqih)
O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “Aquele que aceita uma mulher como esposa, deve respeitá-la”. (Mustadrakil Wasa’il)
O Mensageiro de Deus (S.A.A.S.) disse: “Gabriel5 (A.S.) recomendou-me tanto sobre o bom tratamento às mulheres que eu cheguei a considerar que o divórcio não fosse necessário, exceto num caso de evidente adultério”. (Manla Yahdurul Faqih)
Os dizeres e recomendações dos Ahlul Bait (A.S.) para o bom tratamento e o respeito às mulheres é um dos fatores que auxiliam a permanência da cordialidade, da bênção e do amor.
Os Ahlul Bait (A.S.) aconselharam as mulheres com base naquilo que, se acatado por elas, perpetua a cordialidade, o amor e a benção.
Entre esses conselhos está a obediência ao marido.
O Profeta (S.A.A.S.) disse: “Se uma mulher cumprir as cinco preces diárias, jejuar no mês de Ramadan, tiver pudor em relação às suas partes privadas e obedecer a seu marido, ela entrará no Paraíso por qualquer porta que desejar”.
 
[1] (Alcorão Sagrado, C.30 – V.21)